As paróquias de Santa Maria e Benedito Novo  Home
Santa Maria
VOLTAR

 

Santa Maria, Benedito Novo e Doutor Pedrinho estão situados na região de Blumenau, no Estado de Santa Catarina. O povo de Santa Maria formado por migrantes italianos, alemães e poloneses era, no inicio deste século visitado pelos Frades Franciscanos Menores que tinham um seminário maior na cidade de Rodeio e celebravam em casas particulares até o ano de 1909, quando os colonos fizeram a primeira capela e o seminário em terras de família da Família Fillipi. Em 1922, o frei Cirilo, coadjutor em Rodeio, mandou fazer os alicerces de uma nova igreja num lugar mais alto, no centro da localidade, tendo Nossa Senhora de Lourdes como padroeira. Passaram anos até a sua conclusão em 1928 e tinha torre, sacristia e escadaria na frente da igreja. Em 1937, chegaram as Irmãs Catequistas em Rodeio e habitaram a nova escola. Em 1942, o povo construiu-lhe uma nova residência e acrescentou mais um lote em 1943 para uma horta. Em agosto de 1947, o povo decidiu aumentar a capela. Em 1950, o corpo da capela ficou sem telhado, mas não tocaram nem no presbitério nem no arco do cruzeiro. Construíram os alicerces da nova capela e, no mês de maio do mesmo ano, levantaram os muros com a cobertura. Em dezembro, finalizaram a torre nos tempos modernos, o povo derrubou novamente esta capela e, rebaixando o terreno alto, construiu uma grande igreja de concreto. Esses colonos deram sempre mostra de união e de zelo assim como um grande amor para sua igreja, modificando-a e ampliando-a cada vez que a necessidade aparecia. No dia 7 de julho de 1954, foi decretada a criação da paróquia de Santa Maria pelo bispo de Joinville, Dom Pio Freitas.

Em 1969, frei Jairo Beninca e frei José Afonso Ribeiro foram de Mogi Mirim, para procurar vocações e tomar posse em Santa Maria. Chegaram no meio de um descontentamento geral porque Dom Gregório, bispo de Joinville, tinha decidido anexar Santa Maria à igreja de Benedito Novo e transferir a sede da paróquia para a sede do município. Um grupo de homens ameaçava pregar as portas da igreja de Santa Maria e queimar a casa paroquial. Pensavam: “construímos com muitos sacrifícios a igreja e a casa paroquial e estamos deixando de lado. Que fique uma igreja em Santa Maria e uma outra em Benedito Novo”. Dia 8 de junho de 1869, Dom Gregório foi em Santa Maria e apaziguou os ânimos. Pouco tempo depois, Santa Maria deixou de pertencer a diocese de Joinville e passou para Rio do Sul, com Dom Tito Buss como bispo. Ele visitou as três cidades que formam a paróquia, isto é, Santa Maria, Benedito Novo onde o frei Jairo Beninca ficou como vigário. Santa Maria se revoltou. Frei José Afonso foi ver Dom Tito que queria manter a paróquia em Benedito Novo e o nomeou para Santa Maria. Foi o povo de Benedito Novo que não gostou. Mas pouco a pouco o povo esqueceu tudo e no mês de dezembro de 1970, iniciava-se o ginásio em Santa Maria, o que acalmou todas as dificuldades.

No mês de agosto o frei José Afonso Ribeiro abria o pré-seminário em Santa Maria. Desenvolveu de liturgia e de pedagogia, iniciou também a pastoral das CEBs com cinco treinamentos. Fundou um ginásio nos termos da CENEC (Campanha Nacional de Educandários de Comunidade).
Construiu com o povo a gruta de Nossa Senhora ao pé do morro da igreja.
No dia 8 de dezembro de 1970, Dom Jaime Luiz Coelho, de Maringá, veio ordenar sacerdote em Santa Maria, o Padre Valério Odorizzi. Era o 18o sacerdote ordenado na cidade.
Em dezembro de 1977, o povo concluiu a construção de um salão de 800 metros.
Em 1975, quatro seminaristas estudavam na casa paroquial de Santa Maria, concretizando assim o objetivo da formação.
Em 1978, o frei José Afonso convivia na casa paroquial com o irmão Antônio Carlos Rechia, irmão marista que tinha decidido receber o sacerdócio como religioso franciscano.
No dia 14 de maio do mesmo ano, comemorou-se os 25 anos da paróquia com a presença ativa de Dom Tito Buss.
No final do ano, no dia 31 de dezembro, foi ordenado o frei Antônio por Dom Tito.
Às 14 horas do dia 14 de fevereiro de 1979, Dom Tito anunciou solenemente o Padre Vigário, frei José Afonso, tinha sido escolhido como bispo titular de Bagi e auxiliar de Dom Máximo Biennès na diocese de São Luiz de Cáceres.
O frei Antônio assumiu Santa Maria como vigário e diretor da escola no dia 1 de maio de 1979. Foi mais tarde para Mogi-Mirim. Infelizmente, faleceu em 1992, durante suas férias no meio de seus parentes, em Porto Alegre.
Dia 5 de maio foi ordenado bispo na catedral do Rio do Sul o frei José Afonso Ribeiro. Rezou sua primeira missa de bispo em Santa Maria no dia 6 de maio. Um comboio de 72 carros subiu de Benedito Novo e todo esse povo assistiu a celebração.
No dia 13 de maio, Dom José Afonso inaugurou o colégio Tercílio Longo,da comunidade CENEC.
Quando, mais tarde, o povo de Santa Maria decidiu construir uma igreja mais moderna, aplainou o morro onde ficava a antiga e edificou uma bela e grande igreja de concreto. Mas sua localização representa sempre um problema; ela se encontra isolada com o colégio e a casa paroquial. As famílias moram mais longe e ficam dispersas. Vale também lembrar que 12 Irmãs Catequistas trabalhavam em Santa Maria, Doutor Pedrinho, Benedito Novo e em uma outra comunidade.
Em 1993, foi aberto em Santa Maria o noviciado. Frei Alcides era padre mestre com dois noviços. A paróquia de Santa Maria ficou a cargo de frei Maurício Santana Alves de Abreu.


Benedito Novo

Os primeiros colonizadores chegaram em Timbó em 1875 e em Benedito novo em 1976.
O casal Benedito vivia em Indaial e tinha muitos filhos.
Um deles subia o rio para pescar e instalou-se no lugar que chamariam mais tarde “Benedito Novo”. Até 1934, Benedito Novo pertencia ao município de Blumenau e mais tarde foi distrito de Timbó.
Em 1936, era distrito do município de Rodeio e, em 1941, Benedito Novo tornou-se município tendo como distrito Santa Maria.
A paróquia tem como padroeiro São Roque.
Em tempos mais remotos, os Frades Franciscanos de Rodeio visitavam Benedito Novo assim como Santa Maria.
Em Benedito novo tem mais ou menos 300 famílias católicas para 1.000 evangélicas, enquanto em Santa Maria e Doutor Pedrinho tem 1.000 famílias católicas para umas 20 evangélicas.
Os frades Jairo Beninca, Alcides Finardi, Luiz Pacheco e Paulo Eduardo Melo trabalharam sucessivamente em Benedito Novo.

 

 

  (do livro “Missão Franciscana na Fronteira”, de Dom Máximo Biennès, TOR, bispo emérito de Cáceres – MT)